"Amem sem cor, raça ou gênero."

Via blog, Netinho reclama do Fantástico após sua entrevista sobre homossexualidade.
Reprodução
Para Netinho, discussão sobre homossexualidade no Fantástico foi superficial
Para Netinho, discussão sobre homossexualidade no Fantástico foi superficial


Neste domingo, 04, o programa Fantástico exibiu uma matéria sobre saída do armário, aproveitando o gancho do outing de Ricky Martin. Além de contar um pouco da trajetória do porto-riquenho que cultivava a imagem de galã hétero, a reportagem conversou com o cantor baiano Netinho, que há algum tempo havia revelado que já se relacionou com homens.


Mas o artista não gostou nada da maneira como sua entrevista foi editada. Através de um post publicado em seu blog nesta segunda-feira, Netinho lamentou que o Fantástico tenha disperdiçado "uma bela oportunidade de aprofundar o assunto sem ser tão superficial como foi". Segundo Netinho, ele só concordou em dar a entrevista para passar sua visão sobre o assunto. Ele aproveitou para publicar a íntegra da entrevista e você confere o relato a seguir:


"Vivi uma experiência de relação com uma pessoa do mesmo sexo, relação essa que teve a mesma base de sustentação de qualquer outra relação: a paixão, o amor, o companheirismo e tudo o que de positivo você conseguir imaginar que pode acontecer entre duas pessoas. O fato de ter tido junto a mim uma pessoa do mesmo sexo não me modificou em nada como homem, como pai, como filho, como irmão e como amigo. Ao contrário, apenas me acrescentou. Me mostrou que o amor tem uma dimensão muito maior do que a que eu imaginava. Me mostrou que o amor está acima de cor, raça, idade, condição financeira, sexo, de tudo!

Meu jeito de falar, de andar, de vestir, de pentear... nada disso foi alterado. Eu continuei a ser a mesma pessoa, prezando a minha masculinidade, gostando de fazer as mesmas coisas, tendo a mesma relação com o espelho, com o meu eu interior e com os outros.

Nunca falei em lugar algum que sou "gay" pois não gosto da conotação que esta palavra tem aqui no Brasil. E não gosto de me rotular. Em nada. Não sinto que tenho que me situar numa categoria. Hoje o meu amor, o meu desejo podem estar direcionados a uma pessoa do sexo oposto e amanhã a uma do mesmo sexo. Isso pra mim não importa desde que estas relações sejam sempre motivadas pelo amor.

Na minha opinião, a palavra 'Homossexual' tomou uma conotação por demais ligada ao corpo e ao sexo. Este fato transmite uma idéia errada a quem nunca viveu esse tipo de relação. Na verdade, o que une duas pessoas do mesmo sexo numa relação é o sentimento que sentem uma pela outra. E no amor, você não escolhe, não direciona. Aquilo que todos chamamos de orientação sexual deveria ser antes chamada de orientação afetiva.

Quando você já está vivendo uma coisa intensa e ainda não conseguiu encontrar dentro de você a forma de lidar com a 'novidade', com a 'realidade', seu instinto é se esconder, preservar ainda mais a sua privacidade de forma que ninguém invada um terreno que você ainda não conhece bem para poder falar a respeito. Com o tempo você adquire a certeza de que nada mudou. Com o tempo me vi o mesmo, só que muito mais feliz, apaixonado!

Passo à minha filha, aos meus amigos, e a quem posso, através da minha profissão, a mensagem de que nada que você faz por amor é em vão. Encorajo a que as pessoas corram atrás do verdadeiro amor nas suas vidas, esteja ele onde estiver. Sinto-me um homem muito completo e realizado com as experiências que tive. Aos que neste mundo ainda não entenderam que as coisas acontecem assim, só posso lamentar e desejar que encontrem o seu verdadeiro amor pois lhes trará muita luz com respeito a este assunto e a muitos outros."

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...