"Amem sem cor, raça ou gênero."

On 17:13 by LL in , , ,    1 comment
Uma notícia que embora venha como música aos nossos ouvidos, não está nada tão decidido.

Ontem (27), o STJ (Superior Tribunal de Justiça) aprovou por unanimidade e de forma inédita, o direito de um casal homossexual recorrer à adoção.

O caso que vem discutido desde 2006 já teve seus altos e baixos não está perto de acabar, a decisão do STJ ainda será avaliada pelo STF (Superior Tribunal Federal)orgão máximo da justiça brasileira.

Os dois meninos são irmãos biológicos e hoje tem 6 e 7 anos de idade. Eles já são formalmente adotados por uma das companheiras, uma professora universitária, com quem vivem desde o nascimento. O casal decidiu entrar na Justiça para que eles pudessem ser registrados como filhos de ambas.

A decisão foi tomada após o MP do RS recorrer alegando que apenas casais heterossexuais poderiam adotar crianças.Entretanto, o relator do caso, o ministro Luis Felipe Salomão, entendeu que o artigo 1.622 do Código Civil não impede a adoção por pessoas do mesmo sexo, desde que vivam em união estável.

O ministro qualificou o julgamento como "histórico" e disse que a decisão deve servir de parâmetro para os demais tribunais do país. "Esse julgamento é muito importante para dar dignidade ao ser humano, para o casal e para as crianças", afirmou.
É muito importante que essa decisão também passe pelo STF, e reforce cada vez mais a luta por esse direito precioso de criar uma criança.Na semana passada vimos que uma aposentada de Ipanema espancava uma garota adotiva, e além disso a chamava de cachorra e nomes vulgares de baixo calão.

Esperamos que nossos políticos levem esses fatos em consideração para que mudem seu conceito de que casais homoaféticos não servem para educar e amar crianças.
Muita sorte para que as gaúchas de Bagé consigam dormir em paz, com suas duas filhas em casa, em segurança e felizes!

Um comentário:

  1. Quando abre precedente, é difícil negá-lo depois.

    Finalmente!!!

    fiquei mto feliz com a notícia!!

    Isso garante os direitos das crianças, do casal e dos pais/mães individualmente.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...