"Amem sem cor, raça ou gênero."

Território ultramarino britânico, com população de 48 pessoas, não tem nenhum casal homossexual.


A Ilha de Pitcairn, com população de 48 habitantes 

Na Ilha Pitcairn, um pedaço de terra de 47 quilômetros quadrados perdido no meio do Pacífico, pertencente ao Reino Unido, é considerada um dos menores países do mundo. No entanto, as dimensões tímidas não foram suficientes para impedir o governo local de oficializar o casamento gay.


A mudança ocorreu por sugestão das autoridades do Reino Unido, após a Inglaterra, o País de Gales e a Escócia terem oficializado a união gay no ano passado — afinal, Pitcairn é considerada um território ultramarino britânico na Polinésia. 

Oficializada no dia 15 de maio, mas só recentemente divulgada no site do país, a mudança foi aprovada por unanimidade pelo conselho local.

— Não foram os moradores da ilha que estavam pedindo pela mudança — afirmou Meralda Warren, uma das habitantes do diminuto país. — Mas é algo que está acontecendo em todo o mundo, então, por que não adotarmos isso?

De acordo com Warren, apenas um morador da ilha seria declaradamente homossexual.

Para Rodney Croome, diretor nacional da ONG Igualdade de Casamento Australiano, apesar de não haver casais gays na ilha, outros de fora poderiam escolher o local para realizar a sua união:

— Assumindo que não haja nenhuma exigência de residência na ilha para a união, posso imaginar casais que de fora do lugar possam achá-lo um destino romântico, inclusive australianos que não podem se casas no seu próprio país.

Para ele, a decisão trata-se de um ato de igualdade.

— Mostra como os moradores da ilha valorizam valores como inclusão e igualdade. A decisão diz efetivamente que os habitantes gays pertencem a Pitcairn tanto quanto qualquer outro. E isso é uma mensagem positiva.

A nova lei entrou em vigor no dia 15 de maio, mas não pôde ser publicada no website da ilha em razão de problemas técnicos. Essa mudança na legislação, aprovada por unanimidade pelo conselho local, teria sido influenciada pela adoção sucessiva de leis que autorizam o casamento entre pessoas de mesmo sexo na Inglaterra, no País de Gales e na Escócia.

Contudo, os ilhéus homossexuais que queiram se casar deverão enfrentar um último obstáculo: o único padre da ilha faz parte da Igreja Adventista do Sétimo Dia, um movimento contrário a esse tipo de união.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...